19 de abril – Dia Internacional da Conscientização da Hérnia Diafragmática Congênita (HDC)

19 de abril – Dia Internacional da Conscientização da Hérnia Diafragmática Congênita (HDC)

A HDC é um defeito no diafragma (músculo que separa as estruturas abdominais das torácicas), permitindo a passagem das vísceras abdominais para a cavidade do tórax. A incidência é de 1/2500 a 1/5000 nascidos vivos. As vísceras abdominais na cavidade torácica impedem o crescimento adequado dos pulmões, assim com a sua maturação.

Na ecografia obstétrica morfológica do primeiro trimestre, que é realizada entre 11 semanas e 13 semanas e 6 dias, você suspeita do diagnóstico. Geralmente, no morfológico do segundo trimestre (entre 18 e 24 semanas), você confirma este diagnóstico.

Para os casos mais graves, com herniação do fígado no tórax e/ou Relação Pulmão-Cabeça (RPC)<1,0, pode ser realizado um procedimento no feto chamado de oclusão traqueal. Por via endoscópica, é colocado um balão na traquéia do feto entre 24 e 28 semanas de gestação. O balão traqueal promove um aumento no volume do pulmão fetal, o que melhora a chance sobrevida pós-natal nos casos de HDC grave.  Ele é retirado entre 32 e 34 semanas de gestação. A chance de sobrevida com alta do berçário para as crianças que fizeram o tratamento é de 50 % (o que seria próximo a zero se fosse realizada conduta expectante).

Após o nascimento, o recém-nascido é submetido à cirurgia definitiva de fechamento do diafragma pelo cirurgião pediátrico.