Ecografia Obstétrica

Avalia as características do bebê em formação, seus aspectos morfológicos, de crescimento e bem-estar fetais, além de fornecer informações sobre a placenta e o líquido amniótico.

Ecografia Obstétrica com Doppler a cores

É um recurso importante para a avaliação do bem-estar fetal, com avaliação da circulação placentária e fetal. No primeiro trimestre, através do estudo das artérias uterinas, estima o risco para Pré-Eclâmpsia e Restrição de Crescimento Intrauterino. No segundo e terceiro trimestres, serve de auxílio para o acompanhamento de diversas patologias em gestantes de alto-risco, tais como Gemelaridade Monocoriônica, Diabetes, Hipertensão Arterial, Anemia fetal, Restrição de crescimento intrauterino, entre outras.

Ecografia Obstétrica Morfológica

É realizada entre 20 e 24 semanas de gestação, com enfoque na revisão detalhada da anatomia fetal. A revisão sistemática do feto permite afastar malformações estruturais e cardiopatias congênitas. Este exame inclui a medida do colo uterino por via vaginal para avaliar risco de prematuridade e estima o risco de Pré-Eclâmpsia através do Doppler das artérias uterinas.

Ecografia Obstétrica com Perfil Biofísico Fetal

Estuda atividades biofísicas do feto (movimentos corporais, tônus, movimentos respiratórios) e volume de líquido amniótico, objetivando predizer o bem-estar fetal. Os três primeiros parâmetros são marcadores agudos de sofrimento fetal e o volume de líquido amniótico é um marcador crônico do mesmo. Para cada um dos itens, atribui-se uma nota, que se for normal o feto recebe 2 e se anormal recebe a nota zero.

Ecografia Obstétrica com Rastreamento Cromossômico Múltiplo

Este exame é realizado entre 11 semanas e 13 semanas e 6 dias de gestação, ou seja, quando o feto apresenta entre 45 mm e 84 mm de comprimento cabeça-nádega. É um exame extremamente importante, onde medimos a Translucência Nucal e avaliamos outros marcadores para realizar um cálculo de risco das principais doenças cromossômicas do feto, tais como Síndrome de Down (Trissomia do 21), Síndrome de Edwards (Trissomia do 18) e Síndrome de Patau (Trissomia do 13). Além de estimar risco para doenças cromossômicas e tranquilizar a gestante, este exame permite determinar a idade gestacional, determinar a corionicidade em gestação gemelar, avaliar a anatomia do feto, bem como estimar o risco para Pré-eclâmpsia através do Doppler das Artérias uterinas.

Ecografia Obstétrica Transvaginal Inicial

Serve para datar uma gestação, definir o número de sacos gestacionais e o número de embriões e avaliar o útero, os ovários e os anexos.

Ecografia TV Tridimensional

Permite a avaliação uterina de forma global, com cortes coronais do útero que o modo bidimensional não permite, sendo de grande utilidade para o diagnóstico de certas patologias que podem comprometer a fertilidade. Proporciona imagem triangular típica do molde endometrial, similar ao que se obtém numa histerossalpingografia, auxiliando no diagnóstico de malformações uterinas, sinéquias e adenomiose.

Ecografia Transvaginal e Pélvica

Avalia a anatomia dos órgãos genitais femininos, como útero, ovários, trompas e colo uterino. Pode também ser realizada para controle de ovulação em pacientes que desejam engravidar ou que estejam fazendo tratamento para infertilidade.

Ecografia Transvaginal com Doppler a Cores

As aplicaçoes do Doppler em ginecologia incluem o diagnostico de lesões ovarianas, miomas, adenomiose, doença do endométrio e do colo uterino, doença vascular uterina e em reproduçao humana. Permite a avaliaçao dos vasos uterinos e ovarianos.

Ecografia Transvaginal com preparo intestinal para Pesquisa de Endometriose Profunda

O preparo intestinal elimina o conteúdo fecal, auxiliando na identificação das camadas da parede do intestino, bem como a pesquisa dos focos de endometriose profunda nos principais sítios. O exame possibilita a avaliação do útero, dos ovários e dos anexos, bem como dos locais mais frequentemente acometidos pela doença, tanto no compartimento anterior (peritônio vesicuterino, ligamentos redondos e bexiga) quanto no posterior (região retrocervical, retossigmoide, vagina e ureteres). A investigação de aderências também pode ser realizada durante o exame. A vantagem é a superioridade de resolução da imagem para a identificação de pequenos focos da doença.

Ecografia Obstétrica Tridimensional (3D/4D com HD-LIVE)

Possibilita a visualização da face fetal, gerando imagens de altíssima resolução do feto e com muita emoção para os pais. O recurso 3D gera imagens estáticas, enquanto o 4D faz o filme em tempo real, permitindo observar-se mudanças faciais, esboço de sorriso, o abrir e fechar dos olhos, abertura da boca e muitas outras belíssimas imagens.